quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Pureza de Coração


Nas minhas idas e vindas pela internet me deparei com esse texto maravilhoso, deliciem-se:


Soren Kierkegaard (1813-1855), filósofo dinamarquês, escreveu uma obra intitulada: "Pureza de Coração é Querer Uma Só Coisa". Simplicidade é ter o coração unido em torno de um só propósito, é não tentar servir a Deus e a Mamom ao mesmo tempo. Mas surge uma pergunta: Seria possível querer uma só coisa que não seja Deus? Seria possível integrar o ser em torno de uma coisa má, de um propósito maligno? De acordo com Kierkegaard, não. "A pessoa que quer uma só coisa que não é o Bem... não quer realmente uma coisa. É uma burla, uma ilusão, um engano, um auto-engano de que ela somente deseja uma coisa. Pois em seu ser mais íntimo ela é, tem de ser, dúplice."


Seu ponto é simples. Deus é a única realidade total, satisfatória, unificadora do universo. Somente Deus é um, e somente ele abrange o bem. Desejar qualquer coisa fora de Deus é não desejar uma coisa, mas um "múltiplo de coisas, uma dispersão, o brinquedo da mutabilidade e a presa da corrupção!". Nenhum desejo pode ser plenamente satisfeito quando estiver fora de Deus, e o indivíduo se torna "não apenas dúplice, mas voltado para mil direções, e em divergência consigo mesmo".


Mas Kierkegaard adverte que desejar o bem pela recompensa não é querer uma só coisa; desejar o bem por temor do castigo não é querer uma só coisa; desejar o bem por obstinação egoísta não é querer uma só coisa; desejar o bem com metade do coração não é querer uma só coisa. Abandono total, compromisso absoluto com o bem, com Deus, é o requisito para querer uma só coisa, para a pureza de coração.
Extraído de "Celebração da Simplicidade", Richard Foster. Editora Hagnos, edição atualmente esgotada.


... fica ai algo para meditação:


- Procuramos "viver com simplicidade para que outros possam simplesmente viver".

Nenhum comentário: